Traficantes de cocaína perdem R$ 111 milhões apenas no Estado

Traficantes de cocaína que utilizam Mato Grosso do Sul como corredor de passagem em direção aos grandes centros consumidores do País, ou mesmo ao exterior, já perderam neste ano perto de R$ 111 milhões em droga. Em regiões como Rio de Janeiro e São Paulo, esse tipo de entorpecente chega a ser vendido a R$ 20 mil o quilo. O montante dos prejuízos ao narcotráfico equivale a 5,5 toneladas de cocaína apreendidas pela Polícia Federal no período de janeiro a agosto.

De acordo com as informações divulgadas nesta quinta-feira pela Superintendência Regional da PF no Estado, o total de cocaína apreendido de janeiro a agosto já soma mais do que o dobro do mesmo período do ano passado. Nos oito meses deste ano são 5,58 toneladas, contra 2,74 de igual período no ano passado. Durante todo 2018 foram 4,13 toneladas, contra 3,12 toneladas de 2017.

Na rota, a cocaína, vinda da Bolívia ou mesmo da Colômbia entra no Brasil por Corumbá ou por Ponta Porã. Após transitarem por Mato Grosso do Sul, as grandes cargas são levadas a portos marítimos, onde são colocadas em navios. A última grande apreensão da droga no Estado aconteceu em abril. A PF e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreenderam 468,5 quilos do produto em Dourados. Os policiais abordaram perto do quilômetro 7 da BR-463, no Trevo da Pedreira, o caminhão Scania/T113 tracionando dois reboques, com placas de Dourados. O veículo era conduzido por um homem de 47 anos. De compartimento preparado foram retirados 444 tabletes de cocaína, que somaram 468,5 quilos.

Indagado sobre o entorpecente, o motorista informou que havia chegado no mesmo dia em Ponta Porã, entrado em Pedro Juan Caballero, no Paraguai, onde recebeu o veículo com a cocaína. Dirigiu-se de volta à Ponta Porã, onde carregou o caminhão com soja para ajudar a ocultar o entorpecente.

NACIONAL

Também ontem, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, comemorou um recorde de 60,7 toneladas de cocaína apreendidas neste ano pela PF. A comparação é em relação aos mesmos períodos dos anos anteriores. Ou seja, nos primeiros oito meses de 2018 foram 38,5 toneladas da droga e em 2017, 26,4 toneladas.

PORTOS

A Receita Federal no Paraná apreendeu 756 quilos de cocaína nesta quinta-feira. A droga estava escondida dentro de um contêiner com amendoim para exportação. A apreensão aconteceu no Porto de Paranaguá, no litoral do Paraná. O produto tinha como destino o Porto de Algeciras, na Espanha. Esta foi a 18ª apreensão de cocaína realizada no Porto de Paranaguá em 2019. O total acumulado nas operações está próximo de alcançar a marca de 11 toneladas (10.795 kg).

Já no dia anterior, a Alfândega da Receita Federal no Porto de Santos e a Polícia Federal, também em Santos, em operação conjunta, localizaram 341 quilos de cocaína em uma carga de exportação. Conforme a Receita, a equipe da alfândega, por meio de critérios objetivos de análise de risco, incluindo a inspeção não intrusiva (raios x), selecionou para vistoria física uma carga de mycelium (parte vegetativa de um fungo) acondicionada em sacos, em um contêiner de 40 pés com destino ao Porto de Antuérpia, na Bélgica.

Durante a inspeção, houve indicação positiva dos cães de faro da Receita para a presença de drogas, aumentando as suspeitas. No interior do contêiner, junto à porta, foram encontradas dez bolsas esportivas pretas contendo diversos tabletes, envoltos em plástico, de cocaína, totalizando 341 quilos.

Em função das características observadas na ação, suspeita-se que tenha ocorrido a técnica criminosa denominada “rip-off modality”, em que a droga é inserida em uma carga lícita sem o conhecimento dos exportadores e importadores. A droga interceptada pela Receita foi entregue à Polícia Federal, que prosseguirá com as investigações a partir das informações fornecidas pela alfândega.

Na semana passada foram recolhidos 581 quilos no Porto de Santos. A alfândega localizou 581 quilos de entorpecente em uma carga prestes a ser exportada para a Europa. Tratava-se de uma carga de polipropileno acondicionado em sacos, agrupada em oito contêineres de 40 pés, cujo destino era o Porto de Antuérpia, na Bélgica.

Conforme a Receita, um dos contêineres foi selecionado para uma vistoria mais rigorosa, que contou com a participação dos cães farejadores da própria Receita, e foram encontrados 23 sacos de ráfia reciclado contendo diversos tabletes envoltos em material plástico e cobertos de lubrificante, totalizando os 581 quilos de cocaína.

Segundo as informações, a Receita Federal apreendeu 25,3 toneladas de cocaína em portos, aeroportos e demais locais de fiscalização do órgão federal aduaneiro em todo o País.

Compartilhe essa notícia com seus amigos:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *