MS: Sem água e alimentos, 23 cabeças de gado morrem em fazenda.

Fazendeiro de 36 anos foi identificado pela Polícia Militar Ambiental e multado em R$ 23 mil após deixar 23 cabeças de gado morrerem. A suspeita é de que os animais tenham ficado debilitados em decorrência do transporte e piorado por falta de água e alimento. O caso ocorreu em outubro em propriedade de Terenos, mas só agora o homem foi identificado pelos militares.

Os policiais receberam uma denúncia anônima sobre maus-tratos em uma fazenda e foram verificar. No local, eles conversaram com o capataz e foram informados que a fazenda pertencia a um homem de 36 anos que mora em Campo Grande.

 

Aos policiais, o capataz confirmou que havia animais mortos no pasto. Segundo o relato, eles chegaram debilitados na fazenda no dia 19 de outubro. Isto porque eles foram trazidos de Corumbá e não suportaram o transporte.

O capataz negou que as mortes das 23 cabeças de gado tenham sido causadas por falta de água ou alimento.

Após 10 dias da visita, os policiais conseguiram identificar o fazendeiro. Ele foi multado administrativamente em R$ 23 mil e será investigado por crime ambiental. A pena para maus-tratos varia de três meses a um ano de prisão.

Os militares também acionaram a Iagro ( Agência Sanitária Animal e Vegetal) para a avaliação sobre sanidade dos outros animais que estão na propriedade.

Compartilhe essa notícia com seus amigos:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *