Jovem sai de delegacia após prestar queixa e é assassinada pelo ex

Uma jovem de 22 anos foi assassinada com quatro tiros ao sair da delegacia da Polícia Civil após prestar queixa por estar sendo perseguida pelo ex-namorado, na tarde desta quinta(14), em São Manuel, interior de São Paulo. Adrielli Eduarda Rodrigues da Cruz ainda foi socorrida e levada para um hospital, mas não resistiu. Minutos antes de receber os tiros, a jovem fotografou o ex em uma motocicleta e enviou a foto para a família, como prova da perseguição.

© Reprodução/Veja SP

Na tarde da sexta (15), Cristiano Gomes, de 30 anos, foi preso em uma residência na Vila São Geraldo, em São Manuel. Segunda a Polícia, ele não reagiu e foi conduzido até ao Plantão Policial de São Manuel e diante do delegado plantonista confessou o autoria do crime e disse estar arrependido de ter cometido o crime. Foi decretada a prisão temporária pela justiça contra Cristiano Gomes.

 

Ele foi transferido para CDP (Centro de Detenção Provisória) de Itatinga, onde permanecerá à disposição da justiça.

De acordo com os familiares, Adrielli havia rompido o namoro em razão das agressões que sofria do rapaz. Inconformado, o ex passou a perseguir e ameaçar a jovem. Na tarde de quinta, ela foi à delegacia, denunciou as ameaças e entrou com pedido de medida protetiva.

Após sair da unidade policial, Adrielli se deparou com o ex-namorado de motocicleta, à sua espreita, na rua Francisco da Cruz Mellão, por onde ela deveria passar. Ela fotografou o rapaz e enviou a foto para a mãe, pelo aplicativo WhatsApp, dizendo: “Mas dessa vez… olha essa prova”. E acrescentou. “Ele vem pro meu lado. Já vou aí.”

 

Conforme a polícia, o suspeito atirou cinco vezes e fugiu na moto. Quatro tiros acertaram a jovem. Ela foi encaminhada para o Hospital das Clínicas de Botucatu, mas o estado se agravou e Adrielli morreu na mesma noite.

O crime chocou os moradores da cidade, onde a jovem trabalhava como operadora de caixa em um supermercado. Muitas pessoas manifestaram pesar na  página de Adrielli em rede social, transformada em memorial.

A Polícia Civil informou que, ao registrar a ocorrência, a jovem não relatou ameaça iminente e o pedido de medida protetiva seria encaminhado à Justiça.

Compartilhe essa notícia com seus amigos:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *