Quarto estado em bens apreendidos de tráfico, MS é foco de Moro para arrecadar

Mato Grosso do Sul é o quarto estado com mais bens apreendidos de traficantes do País. Com 1,1 mil de itens como veículos, joias e eletrônicos parados em unidades policiais, a Estado é um dos focos do ministro da Justiça, Sérgio Moro, em estratégia de descapitalização dos criminosos.

 Conforme publicado nesta terça-feira, no jornal Estado de São Paulo, o passivo é de 50 mil bens apreendidos no País. A maioria está no Sudeste: São Paulo tem 3,7 mil bens e Minas Gerais, 1,6 mil. Em seguida, aparecem Paraná, com 1,5 mil, Mato Grosso do Sul, 1,1 mil, e Rio Grande do Sul, 965.

Neste ano foram arrecadados R$ 24,3 milhões com a venda dos objetos em todo território nacional. O valor dobrou em relação ao ano passado, quando foram vendidos R$ 10,3 milhões em bens.

O salto deve-se a medida provisória editada no meio do ano, transformada em lei em outubro pelo Legislativo, que facilita a venda desse espólio. Desde a promulgação da lei, foram leiloados 311 ativos, arrecadando mais de R$ 2,6 milhões.

Apesar do aumento da arrecadação, o valor é bem inferior ao total que somente Mato Grosso do Sul tem avaliado em bens.

Cálculo da Sejusp (Secretaria de Justiça e Segurança Pública), divulgado em maio deste ano, aponta que o Estado tem a receber cerca de R$ 390 milhões com leilões dos bens apreendidos com traficantes pelas forças policiais estaduais. O valor é relativo apenas a 38 mil hectares de propriedades rurais usadas pelos criminosos do Estado.

Para aumentar a arrecadação, o governo Federal precisa que os Estados cadastrem os bens apreendidos na nova plataforma criada com a lei para realizar os leilões.

Compartilhe essa notícia com seus amigos:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *