Afipes de Padre Robson desembolsaram R$ 456 milhões em pagamentos para emissoras de rádio e tv

As associações fundadas pelo padre Robson em nome do Divino Pai Eterno desembolsaram R$ 456 milhões em pagamentos para emissoras de rádio e televisão. Apenas para a TV Independente de São José foram transferidos R$ 198 milhões, divididos em 127 operações financeiras.
 
Entre as dezenas de operações para empresas de comunicação levantadas durante a investigação pelo Ministério Público de Goiás, constam transferências de R$ 96 milhões para uma rádio e R$ 14,4 milhões para outra rádio. Robson sempre negou irregularidades na condução das associações.
 
Algumas operações foram descritas como compra e venda de direitos de cessão, como informaram os próprios envolvidos. A Sul Brasil Rádio e Televisão é uma as empresas que também está na lista por receber R$ 92 milhões da Associação Pai Eterno e Perpétuo Socorro.
 
A empresa disse que foi vendida para a associação do padre, o que justifica os pagamentos (leia a defesa ao final).
 
São três associações sob investigação, todas fundadas pelo padre Robson: Associação Filhos do Pai Eterno, Associação Filhos do Pai Eterno e Perpétuo Socorro e Associação Pai Eterno e Perpétuo Socorro, chamadas de Afipes.
 
A investigação do MP aponta que as Afipes recebem e gerencia cerca de R$ 20 milhões por mês. Ao longo de 10 anos foram arrecadados R$ 2 bilhões. A biografia da entidade relata que as doações recebidas são voltadas para a evangelização por meio da TV e para obras sociais.
 
Um dos promotores do MP que está no grupo da investigação, Paulo Penna Prado diz que “as rádios não tem nada a haver com a regulação de programação religiosa” e que “está bem distante da finalidade”. Para ele, o principal objeto da investigação é a falta de transparência nos valores e das operações.
 
As entidades foram fundadas pelo padre Robson a partir de 2004, com o objetivo de proporcionar auxílio na vivência da fé e propagar a devoção ao Divino Pai Eterno.
 
O padre também era responsável pela administração do Santuário Basílica de Trindade, um dos maiores do Brasil, mas se afastou das funções temporariamente para colaborar com o MP.
G1 Goiás
Compartilhe essa notícia com seus amigos:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *