‘Isso é o certo. Ser honesto mesmo’, diz empresário que teve envelope de R$ 2 mil devolvido por casal em MS

Por Graziela Rezende

A procura pelo dono do envelope de R$ 2 mil, encontrado em um banco em Costa Rica, região norte de Mato Grosso do Sul, terminou na manhã desta segunda-feira (4), quando ele compareceu na delegacia e comprovou ser o dono do dinheiro. Pouco antes, ficou sabendo que um casal é quem achou o envelope, no caixa eletrônico, e elogiou muito a atitude deles.

“Isso é o certo. Ser honesto mesmo. Foi uma atitude idônea e é isso que a gente espera nesse 2021. Fiquei muito feliz, foi uma notícia exemplar e acho que tem que ser divulgado mesmo”, afirmou ao G1 o empresário Mauro Edson Macht, de 54 anos.

Conforme o empresário, na última sexta-feira (1°), ele foi até a agência fazer uns depósitos. “Eu coloquei o primeiro e fiquei esperando o recibo. O outro deu problema e tentei algumas vezes. Na hora de pegar o recibo, deixei ele do lado e acabei esquecendo na hora de ir embora. Os envelopes estavam identificados e foi até um funcionário que viu primeiro na internet, dizendo que estavam procurando o dono”, comentou.

Como os envelopes são identificados com o nome da empresa dele e também é a própria letra do Mauro no envelope, ele conseguiu confirmar ser o dono. “Nós fizemos a devolução do dinheiro e também ressaltamos a atitude do casal que, primeiro tentou falar com o gerente do banco, depois procurou a Polícia Militar [PM] e, por último, o caso chegou ao nosso conhecimento”, explicou o delegado Gustavo Mendes.

Renato e Ariana acionaram a Polícia Militar após encontrarem R$ 2 mil em uma agência bancária, em MS. — Foto: Polícia Militar/Divulgação

Renato e Ariana acionaram a Polícia Militar após encontrarem R$ 2 mil em uma agência bancária, em MS. — Foto: Polícia Militar/Divulgação

Entenda o caso

O casal Renato dos santos, de 35 anos e, Ariana Riquelme Melgarejo, de 38 anos, encontrou um envelope com a quantia de R$ 2 mil reais dentro de uma agência bancária e procurou a PM para identificar o dono do dinheiro, em Costa Rica.

“Na hora eu só pensei em encontrar o dono para devolver. Aqui tem muita gente que mora em fazenda e talvez essa pessoa iria mandar esse valor para alguém da família. Não tem sentido eu ficar com algo que não me pertence. Provavelmente essa [pessoa] trabalhou o mês inteiro e não imaginava que isso aconteceria de perder tudo de uma vez só”, explicou ao G1 Ariana.

O caso foi registrado como achado de coisas.

Compartilhe essa notícia com seus amigos:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *