Depois do Google, Apple e Amazon também suspendem aplicativo Parler

Por G1

A Apple e a Amazon anunciaram neste sábado (9) que suspenderam de suas lojas virtuais e de seus serviços de hospedagem o aplicativo Parler, muito usado por apoiadores do presidente Donald Trump. Na sexta-feira (8), o Google já havia tomado decisão semelhante.

As empresas alegam que a rede social não tomou medidas adequadas para evitar a disseminação de postagens incitando a violência depois da invasão ao Congresso dos Estados Unidos que deixou 5 mortos.

“Suspendemos a Parler na App Store até que eles resolvam esses problemas”, disse a Apple em um comunicado. A Apple deu 24 horas para a rede social apresentar um plano de moderação detalhado.

O presidente-executivo da Parler, John Matze, atacou a Apple, dizendo que a fabricante do iPhone estava banindo o serviço até que desistisse da liberdade de expressão e instituísse “políticas amplas e invasivas como Twitter e Facebook”.

A Amazon suspendeu Parler de sua unidade Amazon Web Services (AWS), por violar os termos de serviço da AWS ao falhar em lidar de forma eficaz com um aumento constante de conteúdo violento no serviço de rede social, informou o BuzzFeed News.

A AWS planeja suspender a conta de Parler a partir de domingo, às 23h59.

Na sexta-feira (8), o Google disse que a Parler tem de demonstrar moderação de conteúdo “robusta” se quiser voltar à loja.

Também na sexta-feira (8), o Twitter suspendeu permanentemente a conta de Donald Trump na rede social com a alegação de que os posts recentes do presidente incitavam a violência.

 

Compartilhe essa notícia com seus amigos:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *