Equipe do Fed viu deterioração das condições do mercado de trabalho em dezembro

AGÊNCIA ESTADO

Os rumos da pandemia de covid-19 e as medidas para contê-la continuam guiando a economia nos Estados Unidos e no exterior, avalia a equipe do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), de acordo com ata publicada nesta quarta-feira, 17, com relação à mais recente reunião de política monetária da instituição. O crescimento desacelerou no último trimestre, e o PIB ainda não conseguiu retomar os níveis anteriores à pandemia, destaca o documento.

As condições do mercado de trabalho se deterioraram, e o nível de emprego segue abaixo do começo de 2020. Na visão da equipe, os níveis de preços no país também estão abaixo do que estavam antes da pandemia.

Já a produção industrial no país avançou no quarto trimestre, ainda que não tenha recuperado os padrões anteriores à crise, aponta o documento.

Os dados no último trimestre demonstram uma queda na economia internacional, em grande parte guiada pelas medidas de contenção aplicadas para tentar impedir o avanço da covid-19, particularmente na Europa. Tal fator afetou especialmente o setor de serviços nas economias avançadas.

Ferramentas

Os dirigentes do Federal Reserve reforçaram o compromisso da entidade de utilizar todas as ferramentas disponíveis para dar suporte à economia dos Estados Unidos, segundo informou a ata. Apesar da vacinação contra a covid-19 e o esperado pacote de estímulos fiscais terem melhorado a perspectiva a médio prazo, os dirigentes ainda consideram a trajetória da economia incerta, com riscos impostos pela pandemia.

Os membros do Fed ainda notaram que o programa de vacinação em massa foi “essencial” para suportar a melhora dos gastos com consumo, que ganharam impulso por políticas fiscais adotadas no ano passado.

Produtos duráveis puxaram os ganhos nos últimos meses, enquanto serviços continuaram pressionados pela pandemia, diz a ata. Já as vendas de casas seguem em ritmo “robusto”, apoiadas pela adoção de juros historicamente baixos nos EUA, notaram os dirigentes.

Reservas

As reservas excedentes devem aumentar rapidamente entre o fim do primeiro semestre de 2021 até meados da segunda metade do ano, refletindo as compras de ativos em andamento feitas pelo Federal Reserve e os declínios esperados nos saldos mantidos na Conta Geral do Tesouro, segundo apontaram dirigentes na mais recente reunião de política monetária do Fed, de acordo com ata publicada nesta quarta.

O documento diz que os preços de mercado sugeriam que a taxa efetiva dos Fed funds cairão modestamente durante o segundo trimestre de 2021.

Mesmo com uma maior pressão nas taxas do mercado, a entidade monetária continuará fornecendo “controle efetivo” sobre a taxa dos Fed funds por meio das ferramentas disponíveis.

Rali de ativos

As condições financeiras ficaram mais frouxas no geral nos Estados Unidos, com a continuação do rali em ativos de risco. É isso que os dirigentes do Federal Reserve avaliam sobre o desenvolvimento recente dos mercados no país, de acordo com ata. Já os spreads diminuíram, especialmente para créditos vistos como de maior risco.

Os rumos da pandemia e os panoramas para a política monetária seguem sendo os principais fatores a guiar os mercados financeiros nos EUA, de acordo com os dirigentes.

O desenvolvimento da vacinação foi mais devagar do que o esperado, e a trajetória de curto prazo da pandemia de covid-19 piorou, segundo o documento. No entanto, mesmo com o aparecimento de novas variantes do coronavírus, o mercado se mostrou “confiante”, avaliam os dirigentes.

Compartilhe essa notícia com seus amigos:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *