Cidade da região marca infectados pelo covid-19 com pulseira vermelha

Decreto da prefeita Tânia Liana Toledo Yugar (PSD), de Nova Granada, determina que pacientes com Covid-19 utilizem uma pulseira vermelha, que só pode ser retirada pelo médico responsável. A regra está no decreto 183/2021, publicado no Diário Oficial do Município no último sábado, 6.

Segundo o artigo 4º do decreto municipal, as pulseiras de identificação “da potencial ou efetiva presença da Covid-19” serão utilizadas como “meio exclusivo de controle de isolamento”. Pela regra, ao dar entrada em unidades de saúde com sintomas ou por qualquer outro motivo ser considerado suspeito de contaminação pelo coronavírus, o paciente receberá uma pulseira amarela, que determina que fique em isolamento até o resultado do teste.

Se o resultado der positivo, a pulseira amarela é trocada por uma vermelha, determinando que o paciente deve permanecer em isolamento durante todo o tratamento. O acessório só pode ser retirado pelo médico responsável.

Segundo o decreto, se o paciente retirar a pulseira antes de receber alta médica ou for flagrado violando o isolamento social, “comparecendo em lugares ou em contato próximo fora de sua residência”, será autuado e multado em R$ 300, mediante prova fotográfica.

Segundo informações coletadas pela Fundação Seade, até a tarde de domingo, 7, o município de 21,6 mil habitantes registrava 1.710 casos de Covid-19 e 36 mortes pela doença.

Medida polêmica

A medida gerou polêmica na cidade e ganhou repercussão, inclusive, fora do município. A deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) usou o Twitter para criticar a medida, a que chamou de “surreal”. “O que falta agora? Coleira de eletrochoque?”, questionou a política.

Compartilhe essa notícia com seus amigos:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *