É gravíssimo estado de Deputado reinfectado pela Covid-19; irmã pede oração

Em estado gravissímo, foi o que disse a irmã do Deputado Estadual de Mato Grosso Silvio Fávero (PSL), Katia Bedin relatou sobre o estado de saúde do parlamentar. Ela disse que ele teve uma piora após sua intubação. Em um audio enviado a uma tia do deputado, ela afirma que ele precisa reagir em até 24 horas, se não “não tem o que fazer”. O estado de saúde de Favero, que foi reinfectado pela Covid-19, também não permite que ele seja transferido para São Paulo.

“O médico disse que ele tem que melhorar dentro de 24 horas. O estado dele é gravíssimo. Eu estou aqui agora no hospital, e ele não está reagindo. Na hora que intubou foi tranquilo, mas ele não está reagindo. E não pode nem fazer uma tomografia nele para saber se aumentou ou não o pulmão porque não pode nem tocar nele, mexer muito com ele, porque aí a saturação já cai bastante”, lamentou a irmã, desesperada.

A reportagem do entrou em contato com o médico Carlos Augusto Carretoni, que explicou que o estado dele é realmente grave, contudo estão fazendo todo o possível para que melhore. “Estamos cuidando e agilizando. Ainda não possível falar sobre transferência. O estado é delicado”, apontou.

O parlamentar foi transferido de Lucas do Rio Verde para leito de UTI na Amecor, em Cuiabá, devido ao agravamento da infecção pela Covid-19 e precisou ser intubado na manhã deste domingo (07). Fávero foi internado em sua cidade natal, Lucas do Rio Verde, e transferido para Cuiabá no último sábado (6). No domingo, a assessoria de imprensa afirmou que a equipe médica aguardava resposta de seu tratamento para que ele fosse levado para São Paulo. No áudio, a irmã dele explicou a situação e pediu orações.

“Enquanto não melhorar não tem como levar para São Paulo. Eu coloquei agora em todos os grupos pra gente levantar um clamor ao meio dia e às três da tarde para que Deus escute nossas preces e faça alguma coisa por ele, porque se ele não melhorar dentro dessas 24 horas não tem mais o que fazer. Tem que deixar. Está bem preocupante. Até então tinham passado para nós só isso realmente, que ele tinha se dado bem com a intubação, mas depois ele não reagiu nada”, afirmou.

Bolsonarista, Fávero já fez uso da tribuna da Assembleia para defender o uso de medicamentos sem comprovação cientifíca como a cloroquina para tratar Covid-19. Além disso, é autor de projeto de Lei para impedir que a vacinação seja obrigatória em Mato Grosso, mas a matéria ainda não entrou em pauta na Assembleia.

Compartilhe essa notícia com seus amigos:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *