Variante mais letal da covid está presente em 82% dos contaminados em MS

Estudo feito pela UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) verificou alta incidência da variante P1 do coronavírus no Estado. A cepa possui maior transmissibilidade, atinge faixas etárias mais jovens, tem evolução mais rápida e maior gravidade.

Por meio de estudo genômico feito por pesquisadores da instituição, foram analisadas 38 amostras entre 6 e 9 de abril, das quais 82% são da variante.


Conforme reportado pelo Campo Grande News, dados da SES (Secretaria Estadual de Saúde) indicam aumento da letalidade da doença tanto em pacientes mais jovens, quanto nas pessoas sem comorbidades.

Além disso, estudo da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) constatou maior velocidade que o vírus tem para matar pessoas infectadas. Todos esses fatores têm sido apontados por especialistas e autoridades em saúde como resultantes da variante P1.

Pandemia – Durante coletiva nesta sexta-feira (16), a secretária-adjunta de Saúde, Crhstinne Maymone, ressaltou a importância em manter hábitos de prevenção a covid-19 como uso de máscaras, higiene e distanciamento social.

Segundo dados de boletim epidemiológico divulgado hoje (16), Mato Grosso do Sul já acumula mais de 235 mil casos de covid-19, desde o início da pandemia, e o vírus foi responsável pela morte de 5.099 pessoas.

(*)Crédito: Campo Grande News

Compartilhe essa notícia com seus amigos:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *