Polícia cumpre mandado de buscas e apreensões após furto milionário de gado nelore em MS

Polícia cumpre mandado de buscas e apreensões após furto milionário de gado nelore em MS

Dois proprietários rurais foram autuados e a Polícia Civil cumpriu mandados de buscas e apreensões em Aparecida do Taboado após o furto (abigeato) de 32 novilhas da raça nelore, ocorrido entre os dias 17 e 18 de janeiro em propriedade rural de Chapadão do Sul.

Além do crime citado, a polícia informa que, na extensão territorial de Paranaíba, foi constatado que entre janeiro de 2020 e março de 2021 foram registradas a subtração de 433 cabeças de gado. Neste caso, ao atual preço da arroba, as cifras ultrapassam o valor de um milhão de reais, segundo a polícia.

 

As investigações se iniciaram junto a DP de Paraíso das Águas, após o registro do furto das 32 novilhas da raça nelore, com idade entre 15 e 24 meses, com a marca FA. Segundo a polícia, desde o registro da ocorrência, as investigações contaram com a participação de policiais civis das Unidades de Paraíso das Águas, Cassilândia e Aparecida do Taboado e passaram a ser acompanhadas pelo DRACCO (Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado).

Durante a operação, foram cumpridos seis mandados de busca e apreensão que culminou na apreensão de documentos, aparelho telefônico, oitivas de pessoas relacionadas, fiscalização sanitária do Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal de Mato Grosso do Sul), contagem de rebanho, dentre outras diligências.

Em uma das propriedades investigadas, foi localizado um total de 183 bovinos pertencentes a dois produtores. O loca alvo de mandado de busca não possuía registro na Iagro nem na Sefaz (Secretaria de Estado de Fazenda).

Os animais foram classificados e contados. Nenhum animal subtraído em Chapadão do Sul foi localizado. Os produtores não tinham contrato de arrendamento e nem declarações ou fatos com animais, o que totalizou em multa de 493 Uferms (R$ 19,5 mil). Resultou também na abertura de duas inscrições sanitárias para regularizar a situação, além de regularização de medidas sanitárias e administrativas.

Ainda segundo a polícia, há evidências de que se encontra em operação, uma estrutura organizada e dedicada à pratica de crimes de abigeato em toda a região norte do estado de Mato Grosso do Sul.

De acordo com a polícia, os animais reingressam no mercado, maneira clandestina, envolvendo transportadores, corretores, escritórios e frigoríficos. Ainda de acordo com a polícia, isto impacta na fiscalização sanitária e pode comprometer a saúde do rebanho estadual.

A operação foi realizada pelo DRACCO, com apoio da DRP Paranaíba, DP Paraíso das Águas, DP Aparecida do Taboado, DP Chapadão do Sul e DP de Inocência.

Compartilhe essa notícia com seus amigos:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *