Necessidade de entubar mulher preocupa família que ameaça retirá-la do Hospital Municipal de Chapadão do Sul

Na tarde desta sexta-feira, 25 de junho, duas mulheres e um homem estavam agitados e preocupados em frente ao Hospital Municipal de Chapadão do Sul, em visível estado de nervosismo.

Perguntado sobre o que ocorria, uma mulher que se identificou como sendo Maria Pereira de Paula disse que estava muito preocupada com a sua mãe, internada naquele hospital desde a quarta-feira (23).

Maria disse que sua mãe mora no Assentamento Mateira, em Paraíso das Águas e teria vindo a Chapadão do Sul para tomar a primeira dose da vacina contra o Coronavirus. Ocorre que ela estava com tosse e teria procurado o Hospital Municipal para atendimento médico. A paciente teria sido diagnosticada inicialmente por contágio pelo Covid-19. Ela foi internada e segundo a sua filha, seria entubada, mas estava recusando o procedimento.

A mãe ligou para a filha preocupada com a intenção dos médicos em entubá-la e após isso lhe foi retirado o aparelho de telefone, ficando sem comunicação com a família. Maria, uma irmã e um cunhado foram até o hospital solicitar que a paciente não seja entubada, até que se tenha resultados de mais exames que comprovem a contaminação.

Alegam os parentes que a família é grande, com convívio diário e ninguém foi diagnosticado com a contaminação e contestam o tratamento que a mãe está submetida.

A filha Maria disse que a mãe é diabética, hipertensa e já foi fumante, mas não apresentou febre nos dias em que antecederam a procura por médico. “Minha mãe veio ao hospital a procura de cura da tosse, ela queria apenas um xarope”, alega a filha.

Em boletim médico, os profissionais da saúde relatam os sintomas e a saturação da paciente, até que nesta sexta-feira recomendaram que ela seja entubada.

A reportagem do Jovemsulnews, que encontrou Maria agitada na porta do hospital e a entrevistou, procurou a Secretária de Saúde de Chapadão do Sul, Valéria Lopes dos Santos, que prontamente atendeu e ligou para o Hospital Municipal.

Segundo a Secretária, Valéria, existem três procedimentos diferentes para auxiliar na respiração e o tubo pode ser necessário quando o paciente está muito agitado, rejeitando outros procedimentos, o que pode estar acontecendo com a paciente citada.

“Não há intenção de entubar um paciente sem que haja necessidade médica e se isso foi recomendado pelo médico é porque realmente é necessário”. “O tubo não é apenas para casos de condição física é também para casos de condição emocional do paciente”. Concluiu.

A secretária recusou gravar entrevista e disse que se a preocupação da família for publicada ela deverá distribuir nota oficial da Secretaria Municipal de Saúde à imprensa.

Estamos editando o depoimento da filha da paciente que vai ao ar hoje no Jornal da Jovemsulnews, no Facebook e Instagram, a partir das 19h15.

Fonte: jovemsulnews (Norbertino Angeli)

Compartilhe essa notícia com seus amigos:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *