MS atinge marca de 70% da população totalmente imunizada contra a Covid

Dose de reforço está aberta para várias públicos em Mato Grosso do Sul.  — Foto: Prefeitura de Campo Grande/Reprodução

Dose de reforço está aberta para várias públicos em Mato Grosso do Sul. — Foto: Prefeitura de Campo Grande/Reprodução

Mato Grosso do Sul atingiu 70,05% da população totalmente imunizada contra a Covid-19 na tarde desta segunda-feira (22). A porcentagem representa 1,9 milhão de pessoas que tomaram as duas doses da vacina ou o imunizante de dose única. Considerando a população acima de 18 anos, esta taxa sobe para 88,83%.

LEIA TAMBÉM

O secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, disse que mesmo com um índice a se comemorar, Mato Grosso do Sul “está patinando na vacinação”. “Mesmo com uma boa taxa, comemoramos sim, mas pessoas do estado estão deixando de ir se vacinar”.

Resende também comentou que a população tem deixado de ir receber a dose de reforço, principal ativo para aumentar a eficácia dos imunizantes. No estado, foram aplicadas 2.008.728 primeiras doses, já o reforço foram 328.168.

No boletim epidemiológico da Covid-19 divulgado, nesta segunda-feira (22), pela secretaria estadual de Saúde de Mato Grosso do Sul (SES), aponta o registro de duas mortes provocadas pela doença e 225 casos novos.

O secretário estadual de Saúde alertou que a quantidade de casos novos registrados chamou a atenção das autoridades de saúde, principalmente de cidades pequenas, sendo a vacinação essencial para o fim da pandemia.

“Muita gente acha que a doença passou, não utiliza máscara, mas não podemos fazer isso sob pena de acontecer a mesma situação de outros países. Pessoas que não se vacinaram estão colocando em risco todo o trabalho realizado ao longo do último ano”, disse.

 

Dose de reforço em MS

 

Mato Grosso do Sul segue calendário próprio para a aplicação do complemento da imunização contra Covid. De acordo com a secretaria estadual de Saúde (SES), o intervalo para a imunização com a dose de reforço foi reduzido para quatro meses no estado.

A decisão de Mato Grosso do Sul difere daquilo que foi determinado pelo Ministério de Saúde. O órgão nacional decidiu, no dia 16 de novembro, reduzir de seis para cinco meses o intervalo entre a 2ª dose e a dose de reforço dos imunizantes contra a Covid-19.

Antes mesmo da diminuição do prazo em âmbito nacional, Mato Grosso do Sul já praticava menor intervalo entre a dose de reforço e a 2ª. Para especialista, a diminuição de tempo entre as doses não deve ser vista como preocupação.

Compartilhe essa notícia com seus amigos:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *